quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

2010: ALGUMAS REFLEXÕES

O novo sempre vem porque o velho precisa ser superado. Mas este exige uma condição: que tenhamos coragem e forças para (re) formularmos ou (re) inventarmos as respostas as quais tanto buscamos e que interagem com todas as nossas dimensões da vida.

Caminhar nesse sentido, não quer dizer que devamos esquecer o passado só por ser passado, pelo contrário, ele é um baú que guarda as nossas grandes experiências humanas, pois nele o que vivenciamos são algo de extremo valor. E é exatamente esse tesouro que nos ajuda a termos um novo olhar sobre nós, nossa realidade, sobre o que nos transcende... sobre a vida!

Esse é um compromisso que devemos assumir para fazermo-nos pessoas melhores – e construir um outro mundo possível, sem excluídos, sem famintos (que já passam de um bilhão de pessoas – segundo dados recentes da ONU), sem o latifúndio, sem a exacerbada exploração da nossa Casa Comum a Mãe Terra, que tanto nos acolhe e nos ama!

E assim vamos, com todo espírito de responsabilidade trabalhar e se engajar profundamente na realização dos sonhos que correspondam aos desafios postos a nossa frente, abertos a crítica e a autocrítica, dispostos sempre a aprender.

Que no novo ano que se inicia, possamos viver cada momento com a intensidade, a ternura e a esperança que o mesmo exige, pois a vida é uma dádiva e cada instante é uma benção de Deus.

Paz e Bem não nos faltarão...

Com carinho,

Mário Moura

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

ONDE NASCE JESUS HOJE?

Arnaldo Zenteno S.J. * 

Meditando sobre as Crianças trabalhadoras de rua

Onde nasce Jesus hoje?
Onde fica Belém?
Onde está o presépio?
Onde Maria e José te cobrem
com os panos de Amor?

Por que Jesus hoje
Não tem presépio,
e está desnudo
chafurdando nos lixões,
pedindo esmolas
ou limpando pára-brisas
em pleno sol quente
até a boca da noite?

Por que hoje, Jesus,
te roubam a infância
e continuam te matando
os Herodes da modernidade?

Por que Jesus hoje
Tu não mais nos comoves até as entranhas?
Por que, Jesus
Não escutamos os teus prantos?
Por que não te envolvemos
Com o nosso amor?

Por que Jesus hoje
te querem trocar por
um Papai Noel gorducho
com um sorriso vazio
cheio de presentes
para os que têm tanto dinheiro?

Por que, Jesus, hoje
não nos aproximamos,
como os pastores,
de teu presépio nos semáforos?
Por que não te construímos um Presépio?
Já que em nossas Beléns
para ti não há presépio,
nem panos para te cobrir…
Haverá então o nosso Amor!

Onde nasce Jesus hoje?
Onde choras?
De onde nos chamas?
Onde nos esperas?

Às meninas e aos meninos trabalhadores das ruas

Arnaldo Zenteno S.J.
Por ocasião da celebração do Natal nas Comunidades Eclesiais, Nicarágua

* Da Equipe de Serviços da CNP. Comunidades Eclesiais de Base de Nicarágua

Publicado no www.adital.com.br

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A QUEM ESTAMOS ESPERANDO?

Por Mário Moura

Há cerca de dois mil anos, na Judéia, surgiu no deserto, percorrendo toda a terra ao redor do rio Jordão, um profeta, um precursor, disposto a preparar a vinda de uma pessoa, que esperada por anos - séculos - seria bem mais importante a ponto de dizer: "mas ei que vem aquele que é mais poderoso do que eu, a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias" (Lc 3,16). Anunciou a brevidade e a complexidade do acontecimento: "Preparai o caminho do Senhor; endireitai as suas veredas" (Lc 3,4), alertando que não era mais algo longe, pois estava chegando a hora e todos deveriam estar envolvidos com sua chegada: "Este será grande e será chamado filho do altíssimo" (Lc 1,32), ou seja, todo ser humano verá a salvação de Deus.

Na atualidade, encontramos também pessoas dedicadas a divulgar a chegada de outro ser no Natal. Esses indivíduos pensam e planejam estratégias que não falham em provar que todos não devem perder a atenção e o foco a essa personalidade: são os publicitários e sua metodologia consiste em deixar um sentimento de exclusão para quem não participa - se auto-inclui - no processo preparatório da sua chegada.

Se no primeiro caso o projeto partiu de Deus, agora a missão - encargo - vem daqueles que tem por objetivo ganhar - faturar - muito no Natal. Os marqueteiros garantem afinal a manutenção da "coca-cola", "celulares Vivo, Tim, Claro, Oi..." "Mcdonalds" nossos de cada dia. Justiça seja feita, não é todo mundo que consegue sobreviver a mel e gafanhotos como João Batista, um barbudo estranho, vestido com pele de camelo.

Hoje é bem mais gratificante e fácil vender o personagem contemporâneo. É um simpático velhinho de barba branca, que chega trazendo muitos presentes... Sua única exigência é a de temos que passar horas e horas pelos "caminhos" lotados do Shopping Center, matando nossos desejos de consumo. Convenhamos, porém, isso não é nada perto do sacrifício e das absurdas inconveniências que aquele anunciado pelo João Batista pede a nós.

Se quisermos realmente que o Natal tenha sentido e sentido cristão e humano, não podemos vivê-lo de qualquer modo. O Advento é o tempo de prepararmos o nosso coração como manjedoura de Deus. Acolher o Menino-Deus e acolher e sentir as vidas dos milhões de desempregados, famintos, miseráveis... é gritar e denunciar a causa da luta pelos indígenas, negros, pobres, crianças, homens, mulheres, idosos crianças de rua, favelas, da caatinga... é suavizar nossa vida, fortalecer a fé e evangelizar a partir da mais linda mensagem divina aos seres humanos: Deus habita o universo e hospeda-se em nosso ser.

O Natal já começou de fato para quem anseia, sente e espera a chegada de Jesus Cristo. Em vez de estarmos preocupados com a ceia, os presentes de amigo-secreto, com e como podemos presentear, temos que pensar o quanto nós estamos propensos a fazer desse Natal não apenas mais um. Sim um Natal de VIDA, ESPERANÇA, PARTILHA, ACOLHIMENTO, TERNURA, SENTIMENTOS, CORAÇÕES, LUZES, FLORES, PENSAMENTOS... Torná-lo único, inesquecível, transformador, comprometido! A história e o fato são extraordinários o bastante para se conseguir isso.

Cabe a nós decidir. E você está esperando quem? Jesus ou Papai Noel?